4 desafios da comunicação na América Latina

Considerada uma das regiões mais diversas do mundo, a América Latina, para algumas empresas, é um território desafiador na área da comunicação.

gestao de crise

4 desafios da comunicação na América Latina

Os países latino-americanos são os que estão na América do Sul e Central (com exceção de Guiana, Suriname, Belize e Jamaica), e o México, único representante da América do Norte. Juntos, formam um grupo de países com muito potencial econômico, mas pela imensa diversidade cultural têm também seus desafios na comunicação e gestão de crise

É preciso encarar que uma região com dezenas países, diferentes idiomas e colonizados por países distintos não pode ser vista como uma coisa só. O que faz sucesso aqui no Brasil pode não fazer sucesso no Chile, ou uma gíria mexicana pode não fazer sentido algum para os colombianos. 

Cada uma dessas populações têm suas peculiaridades, culturas e realidades e, para se comunicar com cada uma dessas pessoas, é importante compreender as suas perspectivas. Porém, nesse momento, muitas empresas caem no erro de generalizar a região e não conseguem se firmar no mercado. 

Não existe passo a passo nem fórmula mágica. É preciso traçar um planejamento estratégico para lidar com obstáculos e poupar sua marca de crises desnecessárias. Confira 4 desafios da comunicação na América Latina:

1. Diversidade de culturas 

A América Latina conta com dezenas de países e cada um deles vive cenários diferentes, além de possuir as suas próprias histórias. Toda essa diversidade histórica, política e social são elementos importantes na cultura de um país e, para estrangeiros, pode ser mais um dos grandes desafios da comunicação local.

Isso tem total impacto quando pensado em público alvo, por exemplo. Pela grande variedade de culturas, algo que pode ser adequado a uma audiência brasileira poderá não fazer tanto sentido para um outro grupo de perfil socioeconômico similar, em outro país. 

2. Estratégias genéricas

Como já foi comentado, é essencial compreender a realidade daquele novo público e traçar objetivos estratégicos coerentes com o novo contexto. Porém, um erro muito cometido por empresas multinacionais é chegar a países latinos com estratégias genéricas e que desconsideram as particularidades regionais.

Um exemplo desse erro de estratégia é a rede Walmart, que chegou ao Brasil sem pesquisar sobre o comportamento do público alvo e o clima local. Eram comercializados produtos para neve e futebol americano, o que não se encaixa em nada com a realidade dos brasileiros. 

Outra empresa que cometeu o mesmo erro foi a Forever 21, muito conhecida nos EUA. Quando chegou ao Brasil, a empresa não adaptou o tamanho de suas roupas para abranger a pluralidade local e teve que fechar boa parte de suas lojas físicas.  

3. Diferenças linguísticas

Muitos países da América Latina foram colonizados pela Espanha, enquanto o Brasil, o maior e mais populoso país da região, foi colonizado por portugueses. 

Então, idealmente, todos os materiais que forem produzidos para a América Latina precisam ter, no mínimo, duas versões. Muitas vezes uma tradução simples basta, outras não, já que também é interessante localizar a mensagem, a fim de torná-la mais relacionável.

Outro ponto de atenção da variação linguística é que ela existe, também, dentro dos próprios países. Assim como o espanhol falado no Chile é muito diferente do que se fala na Argentina, no Brasil, cada região do país tem seu sotaque e também nomes regionais para as mais diversas coisas. É preciso regionalizar mais para conseguir alcançar o público da forma mais eficiente possível. 

4. Sair dos estereótipos 

Por fim, outro segredo para uma boa comunicação na região é fugir da estereotipação das culturas. O Brasil, por exemplo, é sempre visto como um país “exótico e festivo”, assim como é comum encontrar constantes correlações do Peru com lhamas e tricots. 

Recorrer a esse tipo de clichê pode ser, por muitas vezes, desrespeitoso. Por isso, uma empresa deve buscar e estudar outros elementos das culturas regionais e, assim, se aproximar do público alvo — especialmente antes de veicular grandes campanhas.

Os países latino-americanos têm um grande potencial econômico e cultural e, com certeza, merecem ser olhados com bons olhos por quem busca crescer na região. As questões mencionadas no texto reforçam a importância de uma agência especializada para enfrentar os desafios da comunicação na América Latina.

Leia também:

Comentários fechados

Os comentários desse post foram encerrados.