Dieta do índice glicêmico: como funciona

A dieta do índice glicêmico traz ótimos resultados.

Existem dezenas de homens e mulheres em busca do corpo perfeito. Infelizmente, muitos deles acabam realizando dietas que nem sempre são saudáveis. No entanto, com a dieta do índice glicêmico, esse problema pode ser superado. Além de a dieta ser baseada em um cardápio equilibrado, ela oferece resultados gratificantes. Conheça mais sobre essa alimentação que está conquistando cada vez mais adeptos.

Conquistando as estrelas de televisão

A dieta do índice glicêmico vem conquistando a população cada dia mais. Para se ter uma ideia da sua fama, até mesmo atrizes de televisão recorreram aos seus benefícios. Um exemplo que podemos citar é a Camila Pitanga. Na época que foi realizada a dieta do índice glicêmico, ela estava representando a personagem Bebel, em Paraíso Tropical. Com o controle dos índices glicêmicos e associando exercícios físicos a atriz revelou que em pouco tempo conseguiu perder cerca de 4 Kg.

Compreendendo a dieta do índice glicêmico

De maneira geral, essa nova dieta se baseia não na quantidade de calorias ingeridas, mas sim no nível glicêmico apresentado por cada alimento.

Para quem desconhece esse termo, o índice glicêmico indica a velocidade com que cada carboidrato contido no alimento é digerido e, posteriormente, transformado em açúcar. Dessa forma, quando ocorre um aumento do nível glicêmico (açúcar) no organismo, ele passa a acumular a gordura, o que favorece o aumento de peso. Assim, quando se tem um controle da glicemia contida em cada alimento ingerido, diminui a tendência do corpo acumular o excesso de gordura, evitando o aumento ponderal.

Cada alimento tem um valor diferente.

A associação com exercícios físicos é essencial!

A prática de atividade física além de ser um hábito saudável colabora na obtenção de resultados positivos, quando associada à dieta do índice glicêmico. Vale lembrar que o tipo, assim como a quantidade de exercícios, dependerá do porte físico de cada um.

Alimentos que devem ou não conter no cardápio

Alimentos autorizados:

  • Frutas: abacate, ameixa vermelha, carambola, cereja, damasco, figo, laranja, maçã, pera, pêssego, tangerina.
  • Vegetais e verduras: abobrinha, acelga, agrião, aipo, alface, alho-poro, almeirão, aspargo, azeitona, berinjela, brócolis, broto de bambu, cebola, cebolinha, cenoura cura, chicória, cogumelo, couve flor, coentro, ervilha, vagem, espinafre, jiló, mostarda, nabo, broto de bambu, pimentão, quiabo, rúcula, serralha, tomate, taioba, rabanete, espinafre, salsa e maxixe.
  • Grãos: feijão, lentilha, ervilha, grão de bico.
  • Carnes: peixes e frangos.
  • Leites e derivados.
  • Oleaginosas.

Alimentos não autorizados

  • Farinhas refinadas: macarrão, pão, panqueca, bolos, bolachas;
  • Açúcares;
  • Amidos como o arroz, a batata e milho;
  • Frutas: abacaxi, banana, mamão, manga, melancia, melão, uva passa, caqui, uva, fruta do conde, kiwi, morango;
  • Adoçantes à base de sacarina ou aspartame.
Os resultados são ainda melhores quando associados a prática de exercícios físicos.

Agora que você conheceu um pouco mais sobre a dieta do índice glicêmico, vale a pena realizá-la e conferir os resultados.

Leia também:

Comentários fechados

Os comentários desse post foram encerrados.