O que é o ágio e como funciona na compra de imóveis?

Para entender o que é o ágio, é preciso, primeiramente, compreender que chamamos de ágio o lucro adquirido ao transformar o valor de um bem ou até mesmo de uma execução monetária, podendo também ser entendido como os juros presentes em práticas financeiras, sobretudo em parcelas.

Nessa esfera de investimentos, é muito frequente o processo de compra e venda de ágio, como em financiamentos de automóveis, imóveis e terrenos. Sendo assim, ele se efetua quando o custo de um imóvel se torna superior ao que era em seu valor líquido, e esse processo ocorre pois, o imóvel possui um valor diferente no mercado devido sua valorização.

As consequências do ágio podem ser tanto positivas quanto negativas, visto que de um lado um cidadão pode obter um imóvel próprio através desse processo, como também pode se endividar por anos.

O que é o ágio?

No mundo financeiro, é necessário entender o que é o ágio. Seu termo indica todo lucro adquirido em alguma ação financeira. Em outras palavras, ele é o que entendemos como o valor que se é embolsado a mais na compra de um produto.

O que é o ágio
Fonte/Reprodução: original

Desse modo, o ágio manifesta-se como uma discrepância quando comparamos o custo de uma mercadoria originalmente e seu custo no comércio. Quando temos a dinâmica de um comprador e vendedor do ágio, o comprador paga as prestações que o vendedor cumpriu até então.

Para que serve em um imóvel?

Em um imóvel, o ágio é vendido como forma de transferência desse bem para outra pessoa, que passa a ser o proprietário do imóvel somente ao pagar o valor total desse ágio. Assim, o ágio serve para vender o financiamento de uma propriedade que está em andamento, assim como possibilita que as pessoas tenham seus próprios imóveis após meses ou anos de parcelas.

Como é calculado o ágio de um imóvel?

Agora que você o que é o ágio, vamos explicar sobre o cálculo do ágio de um imóvel, que pode ser muito complexo de ser realizado devido a sua inconstância, visto que o valor de um imóvel pode diminuir ou aumentar.

Por isso, é importante ter a assistência de um corretor de imóveis. Porém, em suma, para calcular o ágio de um imóvel é necessário medir as prestações pagas e verificar seu custo recente. Ainda, pode-se checar o mercado imobiliário para, assim, saber se a propriedade teve uma valorização ou desvalorização.

Como calcular com segurança?

O ato de calcular é bastante complexo, mas recompensador. O valor é líquido, podendo aumentar ou diminuir. Mas, caso o vendedor busque calcular o ágio com foco na correção monetária, é necessário que se realize um cálculo com base nas parcelas já pagas com bate nas datas e comparar com o atual.

Para ter noção se o valor do imóvel aumentou ou diminuiu, busque os preços imobiliários da região e compare com o começo do financiamento realizado.

O recomendado é que sempre tenha um corretor com o vendedor para que não haja erros na contabilidade e ele também terá a experiência necessária para se colocar na região, assim como ter o preço mais correto do ágio.

Como funciona a compra e venda de um ágio de imóvel?

A compra e venda de um ágio de imóvel envolve um vendedor, que não pretende mais prosseguir com o pagamento das parcelas de uma propriedade adquirida, e um comprador, que por sua vez, deseja pagar essas parcelas.

Como funciona a compra e venda de um ágio de imóvel
Fonte/Reprodução: original

Em outras palavras, o vendedor entrega o financiamento de uma propriedade imobiliária para o comprador, que se torna o dono quando as prestações acabam. Após o pagamento de todas as parcelas, o banco atualiza a matrícula de imóvel.

Qual o risco para o vendedor?

Para o vendedor, o principal risco diz respeito à restrição que esse financiamento ocasiona, pois estando ativo nessa ação por tempo indeterminado, o vendedor pode não ter o controle sobre o imóvel – essa situação pode se estender de maneira exponencial, como por exemplo, 10, 20, 30 anos.

Outros riscos que são importantíssimos que o vendedor tenha em mente são:

  • Para evitar o nome no Serasa e até virar réu, é importante que sejam pagas as parcelas e despesas de IPTU do imóvel. Seus bens também serão penhorados.
  • Se ativo o financiamento do imóvel vinculado ao contrato de gaveta, o vendedor do ágio bem provavelmente não conseguirá outra aprovação do financiamento imobiliário.
  • Para que não dificulte o vendedor a se tornar livre das obrigações do financiamento, não foque em uma nova venda do ágio.

Por mais que pareça muito mais pesado que no caso do comprador, o vendedor só precisa ter o seu bom senso crítico para que tudo ocorra bem.

Qual o risco para o comprador?

Muitas vezes, podem ocorrer casos em que o comprador não peça a confecção da procuração pública, pode ter altas possibilidades que seja um caso de um golpe. Sendo assim, a pessoa que vendeu o ágio possivelmente não tinha ao menos ligação com o contrato de financiamento imobiliário.

Outros fatores de risco nos quais a atenção do comprador precisa ser mais do que redobrada são:

  • Se deixado de pagar várias parcelas, e o saldo devedor do contrato estando alto – ou com alienação fiduciária – a propriedade já pode ter sido consolidada pela Instituição Financeira e o imóvel ser julgado como objeto de leilão extrajudicial.
  • Caso o vendedor consulte um cartório e solicite a revogação da procuração e informar à Instituição Financeira, o vendedor pode deixar o comprador atado por não ter mais opções.
  • Quando o pagamento completo do contrato do termo de quitação for realizado no nome do vendedor, o comprador terá de fazer duas transferências no cartório de registro de imóveis.
  • Se o vendedor acabar entrando em falência e criar dívidas de processos judiciais, os credores podem pedir a penhora do crédito já realizado no financiamento imobiliário. Assim, tendo que entrar com um advogado para defender seu direito nos processos com base no contrato de gaveta – caso for formalizado.
  • Diante da Instituição Financeira/Imobiliária, o devedor financeiro continuará sendo o vendedor do ágio, e esse pode renegociar a dívida, assim como realizar operações de empréstimo, aproveitação do crédito ou quaisquer outras ações atreladas ao contrato que possam gerar benefícios para tal.

É importante focar em realizar transações com pessoas de confiança e de bom caráter. Infelizmente, não se dá para se deixar levar em situações como essa.

Cuidados com a negociação do ágio

É de extrema importância que, para negociar o ágio de um imóvel com segurança, haja os devidos atestados que certifiquem a troca de proprietário, nesse caso, quem irá pagar as parcelas que sobraram, e o valor desse processo. Todos esses documentos devem ser registrados em um cartório para assegurar a ação.

Relação ágio de imóveis e investimento

O investimento é algo primordial para entender o que é o ágio e seu funcionamento. Seu valor de mercado, valorização, valor intrínseco. Tudo isso é de extrema importância quando se trata desse assunto, por envolver tanto dinheiro.

Mesmo com sua complexidade natural, por existirem ações de inúmeros tipos e valores, o ágio é o prêmio quando essas ações são negociadas. Em outras palavras, no momento da compra de uma ação, o ágio representa a diferença a mais que é paga pelos acionistas, em relação ao seu valor de mercado.

Então, foque em estudar o mercado, e agora você já sabe o que é o ágio, basta estar atento na hora de ver suas finanças, imóveis e tudo relacionado ao mundo do ágio. O importante é não se perder e cair em problemas.

Leia também:

Comentários fechados

Os comentários desse post foram encerrados.